Ver Abaixo-Assinado Apoie este Abaixo-Assinado. Assine e divulgue. O seu apoio é fundamental.

DENUNCIA IRREGULARIDADE ocorridas no concurso da Polícia Civil da Bahia 2018

Para:  A Vossa Excelência, Ministério Público do Município de Salvador/Ba

Abaixo-assinado Anulação do concurso Público Policia Civil da Bahia 2018
Para: Ministério Público do estado da Bahia 25/04/2018


Candidatos abaixo identificados vêm perante Vossa Excelência expor e requerer o que se segue.

É com muito respeito e com grande compreensão que nós, candidatos e interessados na lisura e probidade administrativa e demais princípios que regem a administração pública, inclusive o da justiça, protocolamos este requerimento com os relatos das aplicações das provas do concurso para o ingresso no cargo público efetivo da policia Civil do estado da bahia, ocorrido em 22 de abril do corrente ano, sob os cuidados da banca VUNESP.
Excelência, com toda maestria, as provas do concurso relatado acima merecem ser anuladas pelos seguintes fatos e fundamentos:
DESCUMPRIMENTO DO EDITAL, QUEBRA DOS PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA:
Rege o edital o seguinte:

10.24.1 Recomenda-se ao candidato, no dia da realização das provas, não levar quaisquer dos aparelhos
indicados nas alíneas “l” e “m”, item 10.23 deste Capítulo. Caso seja necessário o candidato portar algum
desses aparelhos eletrônicos, estes deverão ser acondicionados, no momento da identificação, em
embalagem específica a ser fornecida pela Fundação VUNESP exclusivamente para tal fim, devendo a
embalagem, lacrada, permanecer embaixo da mesa/carteira durante toda a aplicação das provas, sob pena
de ser excluído do Concurso Público

10.24 O candidato, ao ingressar no local de realização das provas, deverá manter desligado qualquer
material que esteja sob sua posse, ainda que os sinais de alarme estejam nos modos de vibração e
silencioso.

10.25 Será, também, excluído do Concurso Público, o candidato que estiver utilizando ou portando em seu
bolso ou bolsa/mochila os aparelhos eletrônicos indicados nas alíneas “l” e “m”, item 10.23 deste Capítulo,
após o procedimento estabelecido no item 10.24.1 deste Capítulo.

10.38 O candidato, ao terminar a 1ª Etapa: Provas Objetivas e a 2ª Etapa: Prova Discursiva, entregará ao
fiscal o Caderno de Questões das Provas Objetivas e o Caderno de Questões da Prova Discursiva e as
suas Folhas de Respostas personalizadas.
10.38.1 Os candidatos não poderão levar o Caderno de Questões da Provas Objetivas, como também, o
Caderno de Questões da Prova Discursiva as respectivas Folhas de Respostas em hipótese alguma.
10.38.2 Decorridas 4h30min do início de realização das provas, o candidato poderá levar o rascunho do
gabarito das Provas Objetivas.
10.38.3 O candidato deverá consultar o Cronograma Provisório de Atividades (Anexo II) deste Edital, para
tomar conhecimento da(s) data(s) prevista(s) para divulgação do gabarito das questões das Provas
Objetivas e/ou dos resultados.


Pois bem, Excelência, a própria banca descumpriu as regras do certame quando deixou de observar a cláusula acima transcrita. Candidatos que participaram do concurso da Polícia Civil da Bahia, organizado pela Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp), no último domingo (22), procuraram o site BNews e denunciaram supostas irregularidades ocorridas na aplicação das provas objetiva e discursiva.

De acordo com o edital de convocação, durante a realização das avaliações não seria permitida o uso de “qualquer tipo de aparelho” que realizasse “gravação de imagem, ou de som pelo candidato, pelos seus familiares ou por quaisquer outros estranhos a este concurso público”. Além disso, a banca garantiu que seria “excluído do concurso, o candidato que estivesse utilizando ou portando em seu bolso, mochila os aparelhos eletrônicos”.

A reportagem recebeu imagens de questões das provas, que não poderiam ser levadas pelos participantes após a realização. Além disso, reproduções de conversas do aplicativo WhatsApp revelam que em alguns lugares o envelope que trazia as provas não estava lacrado, e uma pessoa teria sido vista com uma prova no Aeroporto de Salvador.

Contrariados com a situação, alguns participantes, que pedem a anulação do concurso, prometeram denunciar o caso ao Ministério Público da Bahia (MP-BA). Ao site, a assessoria do MP-BA confirmou que o órgão foi procurado por diversos participantes.

A banca Vunesp também foi questionada pela reportagem. O superintendente de Recursos Humanos da instituição, Adriano Tambone, informou que até o momento não foi recebida nenhuma reclamação, e acrescentou que um posicionamento seria enviado. A Secretaria da Administração do Estado (Saeb), esponsável pelo certame, também deve enviar uma nota.

Bahia, 25 de Abril de 2018.


Qual a sua opinião?

O atual abaixo-assinado encontra-se alojado no site Petição Popular que disponibiliza um serviço público gratuito para todos os Brasileiros apoiarem as causas em que acreditam e criarem abaixo-assinados online. Caso tenha alguma questão ou sugestão para o autor do Abaixo-Assinado poderá fazê-lo no seguinte link Contatar Autor
Assinaram o
abaixo-assinado

59 Assinantes

O seu apoio a esta causa é muito importante. Esta causa pode ser a causa de todos. Assine o Abaixo-Assinado.